A história do último rolo de filme Kodachrome

O filme mais poderoso da (então) grande Kodak prometia excelente qualidade de cor e de armazenamento. Prometia e cumpria. Produzido desde 1935, acabou se extinguindo com a chegada da fotografia digital.

ORIGINAL-BOX-OF-KODACHROME-12-ASA-FROM-1938-594x512

O filme era tão famoso que chegou a virar música em 1973. Paul Simon cantava “Mamma, don’t take my kodachome away“.

Antes de deixar de ser produzido, a Kodak entrou em contato com o renomado fotógrafo Steve McCurry. Ele produziu milhares de fotos inclusive a premiadíssima fotografia “Menina Afegã”, que estampou a capa da revista National Geographic em 1985 e foi considerada a fotografia do ano.

02

A Kodak entregou a McCurry o último rolo de filme Kodachrome. Os sets foram escolhidos a dedo. McCurry procurou por pessoas e lugares emblemáticos que representassem algo atemporal, como o próprio filme.

O projeto consumiu vários meses de 2010 e McCurry fotografou Robert de Niro em Nova York, e o fotógrafo Ara Gular, em Istambul. Na Índia, fotografou alguns dos nomes mais icônicos do cinema indiano. Fotografou o povo Rabari, do Rajasthan.

Essas são algumas das fotografias do último filme Kodachrome.

USA-10289NF_000736_11, 0736_11, Grand Central Terminal, NYC, New York, USA, 2010TURKEY-10042_00735_15, _DSC6869_01, Mumbai, Bombay, India, 201000736_07; 0736_07, Rabari, Rajasthan, India, 201000736_04, 735_04B, Rabari woman, Rajasthan, India, 201000736_01, Rajasthan, India, 201000735_19, 0735_19, Rajasthan, India, 201000735_17; Mumbai, Bombay, India, 201000735_12, Dharavi, Mumbai, India, 2010

Confira o ensaio completo em http://stevemccurry.com

Anúncios